• Tiago Araripe

Terramarear à vista

Atualizado: Jun 19


Na vizinha aldeia do Carvalhal, numa das raras saídas durante o lockdown português. (Foto: Ana Ruth)


Refleti muito, antes de decidir fazer uma campanha de crowdfunding (ou financiamento coletivo) como forma de realizar o CD Terramarear, nosso novo álbum. Afinal. como pedir a contribuição das pessoas em meio a cenário tão adverso, com tanta gente lutando pela saúde e pela sobrevivência?


Mudei de ideia ao perceber que não estou apenas pedindo: ofereço em troca, além de outras recompensas, um produto cultural preparado com zelo e dedicação. E a oportunidade de colaboração com duas causas que me tocam de perto: a valorização da cultura e a preservação ambiental.


Isso me fez colocar no ar a nossa campanha, realizada por meio da Benfeitoria.


Ao me aproximar dos 70 anos, desejo ir além do simples lançamento de disco. Retomo as gravações como um importante fio condutor da minha história de vida. Pois eu não poderia continuar me esquivando da música enquanto propósito que guiou parte considerável da minha jornada até aqui. Propósito que, ainda estudante e tendo subido ao palco pelas primeiras vezes, me levou do Recife à cidade de São Paulo dos primeiros discos e shows com Tom Zé e o grupo Papa Poluição. São Paulo da trilha do premiado filme Sargento Getúlio e da participação no teatro e selo Lira Paulistana, que produziu nosso icônico álbum Cabelos de Sansão.


Ainda que ausente dos palcos e gravações por longos anos, em decorrência de circunstâncias da vida, continuei compondo sempre, ao passo que trabalhava para manter a família como redator publicitário e, depois, diretor de criação de agências em Fortaleza e Recife.


Nem mesmo quando Zeca Baleiro redescobriu Cabelos de Sansão e o relançou em CD, encontrei jeito de me dedicar integralmente à música. Em meio a apresentações em Fortaleza e São Paulo, tive o projeto do meu segundo álbum aprovado por edital do governo de Pernambuco e convidei Zeca a produzi-lo comigo. Assim nasceu Baião de Nós. Assim vieram mais shows no Nordeste.


Apenas anos mais tarde, já focado em retomar o caminho da música, produzi com recursos próprios o EP Na Mala, Só a Viagem. No mini álbum, com participação de Juliano Holanda e músicos da linha de frente da cena recifense, estava a premonição de que eu haveria de migrar para o além-mar. E assim aconteceu, algum tempo depois.


Ali já se fazia presente a percepção de fazer canções com o intuito de manifestar uma visão de mundo poética e humanitária.

Em Portugal há quase três anos, produzi e lancei diversos singles. Cada um com sua própria história e sua própria saga. Esta tem sido a minha viagem, empreendida na altura dos 65 anos – e que agora se aproxima dos 70.


Mesmo depois de deflagrada a pandemia e diante dos seus impactos econômicos, continuei gravando – então à distância. Uma forma de contribuir, dentro do possível, para gerar renda a profissionais da cadeia produtiva da música, duramente atingida. Uma maneira de transmitir uma mensagem de esperança e resiliência, diante de tanta dor e desesperança.


E também a intenção de apoiar a causa ambiental, por meio de uma associação cujo trabalho sério conheço de perto, há mais de 20 anos. Portanto, destinaremos o excedente financeiro das duas fases do projeto à Associação Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico.


A instituição realiza ações de educação socioambiental, capacitações em sistemas agroflorestais, em gestão sustentável de resíduos sólidos, em ações de conservação da água e de melhorias da qualidade da vida em ambientes urbanos, além de conservar centenas de hectares de florestas em diferentes biomas. Para isso, reúne cerca de 2.100 sócios voluntários (tive a honra de ser um deles, quando morava no Brasil) – e uma estrutura de organização de coordenações regionais e monitorias nucleares em todo o território nacional.


A campanha pela realização do CD Terramarear é, pois, uma retomada mais consistente da minha história musical e a afirmação de valores nos quais baseio o reinício desse percurso, aqui do lado lusitano do Oceano Atlântico, mesclando sonoridades brasileiras e portuguesas, culturas e sotaques. É como me permito celebrar os 70 anos, fazendo algo que creio ser uma das maiores forças movedoras da humanidade: uma corrente do bem, em que ações construtivas se somam a outras, abrindo caminho para muitas outras mais.

O álbum reúne músicas que tenho produzido às próprias custas – 10 canções disponibilizadas nas plataformas digitais e mais quatro inéditas. Entre estas, uma parceria nova com Zeca Baleiro e outra com Marcos Lessa, que farão participação especial no disco, além de uma canção recente com Rogério Franco que fala, em especial, do universo de pessoas isoladas em casa (você se identifica com isso?) O CD terá também as vozes da pernambucana Isadora Melo, da alentejana Mara e da paulistana Vânia Bastos (presença luminosa de Cabelos de Sansão), além da presença e da parceria de Nonato Luiz. Na direção musical, craques como Juliano Holanda, Walter Areia, Cristiano Pinho, Adelson Viana, Tahina Rahary, Pablo Romeu, Caio Castelo e Jefferson Portela.


Terramarear é também um rito de travessia dos mares revoltos de 2020 e 2021, que, ao mesmo tempo, abrem caminho à inspiração, a novas oportunidades e ao plantio de sementes de um mundo melhor e mais fraterno.

Colabore clicando AQUI.


NOSSA ESPECIAL GRATIDÃO

A QUEM JÁ ESTÁ PARTICIPANDO.

Estamos em plena rota de navegação, com a alegria de ver crescer, a cada dia, o número de colaboradores do nosso projeto, a quem somos especialmente gratos.

São eles, em ordem alfabética:

  • Alan Romero

  • Anabela Alencar Araripe Moura Lacet

  • Ana Cecília Bastos

  • Ana Claudia Franco Ribeiro Wheaton

  • Ana Cristina Gomes Bezerra

  • Ana Lydia Ferraz

  • Anônimo (seja quem for)

  • Antonio Roazzi

  • Antonio Rosemberg de Moura

  • Ascelino Mendes Júnior

  • Assis Lima

  • Bárbara Maria de Alencar

  • Bob Fripp

  • Calazans Callou

  • Carlos Rafael Dias

  • Cássio de Lima Arantes

  • Clarissa Araripe

  • Dalwton Moura

  • David van den Brule e Jamilly

  • Diogo Souza Brito Alencar Araripe

  • Eduardo Bichir Cassis

  • Eugênio Gomez

  • Fabiana Cavalhieri Parajara

  • Fátima Mendes Alencar

  • Fernando Marcelo Cavalcanti Campos

  • Francisco Assis de Souza Lima

  • Francisco Júnior

  • Igor Gazatti

  • J. Flávio Vieira

  • Jailma Santos Monteiro

  • Jefferson de Albuquerque Júnior

  • José Esmeraldo Gonçalves

  • José Hélio Ferreira dos Santos

  • José Wilson Areia Mendes

  • Lívia de Carvalho Rosas

  • Luis Manuel Rodrigues Henriques

  • Maíra Brito

  • Marcel Cunha Criniti

  • Márcia de Carvalho Silva

  • M Wolf

  • Marina de Carvalho Rosas

  • Marisa Mendes Machado

  • Moema de Alencar Araripe

  • Monica Nunes

  • Múcio Duarte

  • Pedro de Lima

  • Ricardo Santana

  • Rita Cassia Vasconcellos Prado

  • Rodrigo Araripe

  • Sandra Silva

  • Sérgio Machado Torres

  • Tatiana Damasceno de Queiroz

  • Theonelly Nascimento Teodozio

  • Zínia Araripe

  • Walter Ariano Júnior

Também merecem nosso profundo reconhecimento:

  • Ana Ruth Brito e toda a nossa família, pelo apoio de sempre.

  • Augusto Pessoa, pelo clipe de Lugar ao Sol.

  • Dalwton Moura, pelo apoio usual.

  • Marcos Lessa, pela participação especial no álbum e colaboração com a campanha.

  • Vânia Bastos, pela participação especial em Lugar ao Sol.

  • Zeca Baleiro, pela participação especial no álbum e colaboração com a campanha.

  • Wilson Bentos, pela leitura crítica do projeto.

  • Todos os parceiros, produtores e músicos das canções do álbum.

  • Todos que estão contribuindo com a divulgação.

Posts recentes

Ver tudo