• Tiago Araripe

Tá rindo de quê?


Iniciada a divulgação luso-brasileira do álbum Terramarear (Foto: Líbia Fiorentino/WCOM Portugal)



Rir é o melhor remédio. Esse era o bordão das piadas que intercalavam os textos e arejavam a Seleção do Reader's Digest na minha adolescência,


Santo remédio. Se diz por toda parte que o riso exercita diversos músculos do rosto, favorece a elasticidade da pele e o rejuvenescimento. Outros de seus benefícios vão além de aumentar a autoestima. Ao liberar substâncias como endorfinas e serotonina, rir contribui, por exemplo, para ampliar a vitalidade, melhorar a circulação e a respiração, reduzir o estresse e fortalecer o sistema imunológico. E aqui estamos fazendo apenas uma síntese do assunto.


Talvez você possa pensar que não há motivo de alegria nesses tempos pandêmicos. A boa notícia é que isso não tem tanta importância: o ato de rir pode ser simplesmente exercitado. Afinal, nosso cérebro não é capaz de distinguir se o riso vem de um sentimento de felicidade ou se é auto induzido: as duas maneiras produzem resultados igualmente positivos em nossa saúde.


Esse é um dos fundamentos da Yoga do Riso, técnica terapêutica desenvolvida pelo médico indiano Madan Kataria e da qual eu e Ana Ruth soubemos da existência por meio de uma amiga italiana. Ela mostrou alguns exercícios e demos boas risadas juntos.


Se você acompanhou a campanha do álbum Terramarear, já sabe que garantimos a realização do disco e sua distribuição digital ao vencer a primeira meta. Entretanto, não houve tempo hábil de sequer iniciar a segunda.


Imaginara poder recuperar, mesmo parcialmente, o que havia investido no disco ao longo de anos. Isso além de conseguir recursos necessários para fabricar o CD e investir na contratação de duas empresas para, simultaneamente, divulgar Terramarear no Brasil e em Portugal.


Não foi bem o que aconteceu. Para contratar a divulgação planejada, e que teve início este mês, precisei reinvestir a pequena margem financeira que obtive em apenas uma meta da campanha. E o fiz com alegria, por considerar vitoriosa a jornada coletiva que está tornando possível o disco e pela oportunidade de seguir na caminhada pela realização do meu propósito musical.


Isso me fez lembrar uma piada de músico, que recebi pelas redes sociais.


Dois artistas se encontram, depois de algum tempo sem notícia um do outro. O primeiro pergunta: "E o seu CD, vendeu?" O outro dá um suspiro. "Vendi tudo", responde, resignado. "Vendi carro, apartamento..."

Rir é o melhor remédio. Mas investir no que a gente gosta também cura.



A grande maioria das recompensas da campanha Terramarear foi entregue. Aguardo alguns dos benfeitores que optaram pelo combo Check in definirem qual vídeo desejam receber: de Zeca Baleiro ou de Marcos Lessa?



Não conseguiu participar da nossa campanha, mas quer adquirir Terramarear em mp3 e receber o encarte em PDF com duas opções de visualização?


Entre em contato comigo aqui pelo blog ou pelo e-mail tiagoararip