{ "data": [ { "event_name": "Purchase", "event_time": 1654007988, "action_source": "email", "user_data": { "em": [ "7b17fb0bd173f625b58636fb796407c22b3d16fc78302d79f0fd30c2fc2fc068" ], "ph": [ null ] }, "custom_data": { "currency": "BRL", "value": 2.99 } } ] "test_event_code:" "TEST65937" }
 
  • Tiago Araripe

Poesia (ou quase isso) na vitrine

Atualizado: 23 de set. de 2020


Este é um dos poemas feitos depois de "pronto" o livro. Que livro? Poema-pílulas, contos-gotas.

Nunca ouviu falar? Ainda é inédito, mas está sendo revelado aqui, em gotas homeopáticas. Quer saber mesmo do que se trata? Leia as postagens anteriores deste blog.


Alguns poetas possuem não apenas telhado de vidro: têm espelho no teto. Assim, facilmente se encantam com o que vêem. Não estou isento da fragilidade da minha cobertura. Uma pedrinha e... crash. Melhor não atirar pedra em outras pessoas, e sim escalar as pedras do caminho.


Contento-me com pouco: um sorriso seu já me faz feliz. Escrevo não para contemplar o próprio umbigo, mas sim pra falar aos meus botões.

38 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 
831885828206936